EXPERIÊNCIAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: REFLEXÕES SOBRE O TRABALHO DOCENTE

Katharina Jeanne Kelecom

Resumo


Resiliência e reinvenção são palavras que se aplicam diretamente ao campo da Educação no ano de 2020, quando a pandemia da Covid-19 se estabeleceu mundo afora. Por imposição da crise sanitária, as escolas fecharam suas portas para as aulas presenciais e o aparato tecnológico constitui-se como um dos únicos meios de interação entre alunos e professores. A rede particular de ensino, equipada, adaptou-se muito rapidamente às necessidades que se impunham. A rede pública, diante de flagrante desigualdade, tem feito o possível para se reinventar. Nesse contexto de reinvenção, alguns professores do Departamento de Francês do Colégio Pedro II participaram ativamente de propostas de formação continuada que orientavam a respeito do uso de ferramentas digitais no ensino remoto emergencial. Levando em conta o debate acerca da cibercultura, das metodologias ativas, dos multiletramentos e da multimodalidade, este artigo tem por objetivo relatar e analisar a experiência de ensino-aprendizagem de francês empregando diferentes ferramentas on-line, entre fevereiro e julho de 2021, com alunos do 8º ano do campus Tijuca II ainda em contexto remoto. Análises preliminares dos questionários respondidos pelos alunos ao final desse período apontam para uma receptividade crescente em relação às propostas de transformação de paradigmas nos processos de ensinar e aprender e revelam um caminho de desafios que alunos e professores terão pela frente.


Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução: Paulo Bezerra, 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Dispõe sobre a organização dos serviços de telecomunicações, a criação e funcionamento de um órgão regulador e outros aspectos institucionais, nos termos da Emenda Constitucional nº 8, de 1995. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, ano 151, n.º 77, 24 abr. 2014. Seção I, p. 1. Disponível em: Acesso em: 10 junho 2020.

COLÉGIO PEDRO II. C’est Nous! : material didático de francês 8o ano. Alves, A.; DOS SANTOS. D.; GAMAURY, M. (org). Rio de Janeiro: Imperial, 2021.

COLÉGIO PEDRO II. Portaria 1775 8 de outubro de 2020. Disponível em: Acesso em: 3 agosto 2021.

COLÉGIO PEDRO II. Portaria 3.112 de 29 de dezembro de 2020. Disponível em: Acesso em: 18 setembro 2021.

DEWEY, J. Democracia e educação : introdução à filosofia da educação. Tradução de Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. 4. ed. São Paulo : Ed. Nacional, 1979.

FREIRE, P. Educação e mudança. Tradução de Lilian Lopes Martin, 38ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

HERNÁNDEZ, F.; VENTURA, M. Organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. Tradução: Jussara Haubert Rodriques, 5ª ed. Porto Alegre: Penso, 2017.

KELECOM, K. O professor de francês língua estrangeira (FLE) e a implementação de um projeto de ensino a distância (EAD): uma construção discursiva do trabalho. 170f. Dissertação de Mestrado em Linguística – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de janeiro, 2009.

LÉVY, P. Cyberculture. Paris: Étitions Odile Jacob, 1997.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

PASQUOTTE-VIEIRA et al. A canção roda viva: da leitura às leituras. In: ROJO, R.; MOURA, E. (org) Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (org) Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

SANTOS, E. Pesquisa-formação na cibercultura. Santo Tirso: Portugal 2014.

SANTOS, E. EAD, palavra proibida. Educação online, pouca gente sabe o que é. Ensino remoto, o que temos. In: Revista Docência e Cibercultura, 2020. Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2020.

SILVA, M. Sala de aula interativa. São Paulo: Edições Loyola, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição  4.0 Internacional.