MATERIAIS ALTERNATIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS

Rodrigo Portal Peixoto, Ivone Ouverney Santos de Azevedo

Resumo


Este estudo envolveu duas escolas do munícipio de Nova Iguaçú/RJ (Escola Municipalizada Engenho Pequeno e Escola Municipal Capistrano de Abreu). O objetivo do trabalho foi o de possibilitar o desenvolvimento de conteúdos que fazem parte da Educação Física escolar a partir da confecção de brinquedos feitos com sucatas. Foram realizadas quatro oficinas de construção de brinquedos com turmas do 2º, 3º e 5º anos do primeiro ciclo do ensino fundamental de ambas as escolas. A pesquisa é de natureza qualitativa referenciada numa pesquisa-ação. Para coletar as informações, foram utilizados um diário de campo e a observação participante, durante e após as oficinas. Os resultados demonstraram que o processo de construção pode despertar o senso criativo e a capacidade de resolução de problemas dos educandos, além de favorecer o diálogo e o trabalho coletivo. Assim, a confecção de brinquedos pode fazer parte das aulas de Educação Física, sem que essas percam qualidade.


Palavras-chave


sucata, material alternativo, educação física

Texto completo:

PDF

Referências


ALFANO, Bruno. Há uma crise de atenção. O GLOBO, Rio de Janeiro, 12 set 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 dez 2015.

ARMSTRONG, Alison. A criança e a máquina: como os computadores colocam a educação de nossos filhos em risco. Porto Alegre: Artmed, 2001.

AZEVEDO, Ivone Ouverney Santos de. Integração dos temas transversais no currículo da educação física: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Ciências da Atividade Física). Niterói, 2014.

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília: Plano, 2002.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades, 2002.

COUTO, Edvaldo Souza. A infância e o brincar na cultura digital. Perspectiva, v. 31, n. 3, p. 897-916, 2013.

BETTI, Mauro. “Imagens em ação”: Uma pesquisa-ação sobre o uso de matérias televisivas em programas de educação física do ensino fundamental e médio. Movimento, v. 12, n. 2, p. 95-120, 2006.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. São Paulo: Scipione, 2009.

GASPARI, Telma Cristiane et al. A realidade dos professores de Educação Física na escola: suas dificuldades e sugestões. Revista Mineira de educação física, v. 14, n. 1, p. 109-137, 2006.

KAUFMANN, Carine. A arte-educação contribuindo para a educação ambiental mediante a utilização de materiais alternativos/sucata no processo pedagógico. Unoesc & Ciência - ACHS, v. 5, n. 1, p. 7-14, 2014.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida et al. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educaçäo. Cortez, 2011.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

OSTROWER. Fayga. Criatividade e processos de criação. Petrópolis: Vozes, 2010.

PIMENTEL, Giuliano Gomes de Assis. Educação Física Escolar e Lazer: Ações e Reflexões. In: MOREIRA, Evandro Carlos; PEREIRA, Raquel Stoilov. Educação física escolar: desafios e propostas 2. Várzea Paulista: Fontoura: 2011.

SANTOS, Jonimar Silva Nascimento dos. A utilização de materiais alternativos para a construção de brinquedos nas aulas de Educação Física: Uma solução criativa. Produto Final (Especialização em Docência da Educação Básica na Disciplina Educação Física) – Colégio Pedro II, Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura, Rio de Janeiro, 2015.

SANTOS, Sérgio Oliveira dos. Utilizando recursos materiais alternativos nas aulas de educação física escolar. In: MOREIRA, Evandro Carlos; PEREIRA, Raquel Stoilov. Educação física escolar: desafios e propostas 2. Várzea Paulista: Fontoura: 2011.

TRIPP, David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v2i1.714

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.