CULTURA DO SILÊNCIO E EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: ANÁLISE DE RELATOS DE EXPERIÊNCIA COM AS DANÇAS.

João Pedro Goes Lopes, Flávio Nunes dos Santos Júnior

Resumo


O presente artigo tem por objetivo operar com o conceito “cultura do silêncio” proposto por Freire (1981) olhando para a prática do currículo cultural de Educação Física (NEIRA; NUNES, 2008; 2009), narrada por professores e professoras que assumem colocá-lo em ação. Para tanto, partimos das seguintes problemáticas: em que medida as tematizações de dança relatadas por docentes colaboram para rechaçar a “cultura do silêncio”?Tomamos como objeto de análise relatos de experiência que tematizassem a dança como prática corporal publicados em artigos e livros entre 2019-2022.Ao analisar os trabalhos, consideramos o currículo cultural como um forte aliado no enfrentamento à cultura do silêncio, visto que seus encadeamentos didáticos não partem de decisões unilaterais, mas buscam sempre algum tipo de relação com o território em que acontecem, levando em consideração as vozes de todos os atores sociais envolvidos com a escola, em especial, os/as discentes.

Palavras-chave


Currículo Cultural; Cultura do silêncio; Educação Física escolar; Danças

Texto completo:

PDF

Referências


BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas para uma teoria performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia 1. São Paulo: Editora 34, 2011.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Ed UFJF, 2005.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

HALL, S. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, nº 2, p. 15-46, jul./dez. 1997.

HALL, S. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: Apicuri, 2016.

HALL, Stuart; MELLINO, Miguel. La cultura y el poder. 1ª ed. Buenos Aires: Amorrortu, 2011.

MALDONADO-TORRES, Nelson. A topologia do Ser e a geopolítica do conheci-mento: modernidade, império e colonialidade. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, março, 2008, p. 71-114.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO¬-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramon. Decolonialidade e pensamento afro-diaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. p. 27-54.

NEIRA, Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2021.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mario Luiz Ferrari. Contribuições dos Estudos Culturais para o currículo da Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Florianópolis, v. 33, n. 3, p. 671-685, jul./set. 2011.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Educação Física: currículo e cultura. São Paulo: Phorte, 2009.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativas. 2 ed. São Paulo: Phorte, 2008.

Neira, Marco Garcia. Educação Física Cultural: carta de navegação. ARQUIVOS em MOVIMENTO, v.12, n.2, p.82-103, Jul/Dez 2016

RELATOS ACESSADOS

BONETTO, P. R. X. Carimbó: entre a cópia e criação. In: NEIRA, Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 184-195.

BONETTO, P. X. R. O samba na Educação Física escolar: na batucada dos nossos tantãs. EMEF Olavo Pezzotti. São Paulo, SP, 2019.

BONETTO, P. X. R. Pop, k-pop e dança tradicional do leque: quando apenas o reconhecimento da cultura corporal não basta. EMEF Olavo Pezzotti. São Paulo, SP, 2019a.

CARVALHO, V. P. Passinho dos maloka nas aulas de Educação Física. EMEF Terezinha Mota de Figueiredo. São Paulo, SP, 2019.

GOMES, C. A. O. Dançando na escola: do balé das meninas ao inseto dos infernos do funk. EPG Gianfrancesco Guarnieri. Guarulhos, SP, 2019.

HAMBURGUER, C H. “Jongo, uma roda pela igualdade”: tematizando o jongo na educação infantil. In: Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2021. p. 117-135.

MASELLA, M. B. et al. Do forró à capoeira, diversidade e culturas populares na EMEI Nelson Mandela em tempos de pandemia. EMEI Nelson Mandela. São Paulo, SP, 2020.

MONTEIRO, H. C. F. Corpo de dança: quem pode dançar? In: Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2021. p. 157-166.

NEVES, M. R. Diferentes significações sobre o k-pop. EMEF Ana Silveira Pereira, São Paulo, SP, 2019.

REIS, R. “O telefone tocou novamente”... tematizando o samba rock na Educação Física. In: NEIRA, Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 196-206.

REIS, R. “Saravá jongueiro velho, que veio para ensinar...”: as escrivivências-discentes na perspectiva da escrivivência-docente. In: Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2021. p. 247-260.

SIGNORELLI, A. G.; DUARTE, L. C. Dançando e frevendo com a turma Elza Soares: cenas de uma tematização do frevo na Educação Infantil. EMEI Nelson Mandela. São Paulo, SP. 2019.

TORRES A, C; QUARESMA, F. N; SANTOS JÚNIOR, F. N. dos. Corpos In-transe: a ciranda e o funk no jogo por conhecimentos e afetos outros. In: NEIRA, Marcos Garcia (Org.) Escrevivências da educação física cultural. São Paulo: FEUSP, 2020. p. 42-64.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v7i0.3655

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.