CODECISÃO DE ESTUDANTES NO PLANEJAMENTO DE AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: temáticas escolhidas e sentimentos manifestados

Ana Claudia Moura Mandolini, Lílian Aparecida Ferreira

Resumo


O presente artigo teve por objetivo identificar as temáticas escolhidas e os sentimentos manifestados por estudantes quando da participação no processo de codecisão do planejamento das aulas de Educação Física. A abordagem qualitativa da pesquisa se orientou pelo estudo exploratório. Os dados foram coletados através de rodas de conversas e questionário. Os participantes envolveram 17 alunos de uma turma de 5º ano. Os temas de interesse dos estudantes foram: handebol; curiosidades sobre a bola, ginástica rítmica, queimada, surfe, voleibol sentado, tango, basquetebol em cadeira de rodas. Quanto aos sentimentos, revelaram: felicidade, responsabilidade, ser valorizado, ter liberdade, curiosidade, timidez, indecisão, estar confuso. Tais evidências parecem ter potencializado a relação de valorização que foi estabelecida com os conhecimentos da Educação Física ao longo do processo, bem como, anunciam a relação de pessoalidade construída entre os alunos, tanto na partilha do ensino com o outro quanto na aprendizagem coletiva.


Palavras-chave


Educação Física; Crítico-emancipatória; Projeto de Trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Camila Marta; CAGNATO, Euza Virginia; DAL-IN, Alessandra. Aulas de educação física na concepção aberta: uma experiência no ensino fundamental. In: X Congresso Nacional de Educação (EDUCERE). Curitiba: PUC. 2011. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2011/4992_2997.pdf. Acesso em: 14 de out. 2020.

BOGDAN, Roberto; BIKLEN, Sari. A Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BOSCATTO, Juliano Daniel; KUNZ, Elenor. Didática comunicativa: contribuições para a legitimação pedagógica da educação física escolar. Journal of Physical Education, v. 20, n. 2, p. 183-195, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsc.

br/index.php/motrivivencia/article/view/9973. Acesso em: 14 de out.2020.

FREIRE, Isabel Batista; MEDEIROS, Rosie Marie Nascimento de. Esporte de invasão na perspectiva de aulas abertas de ensino: um relato de experiência. Cadernos de Formação RBCE, v. 7, n. 1, 2016. Disponível em: http://revista.cbce.org.br/index.php/cadernos/article/view/2112. Acesso em: 14 de out.2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a pedagogia do oprimido São Paulo: Paz e Terra, 1992.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, Romeu. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2009, p.67-80.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Editora ArtMed, 1998.

HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho. Trad. Jussara Haubert Rodrigues. 1998.

HILDEBRANDT, Reiner; LAGING, Ralf. Concepções abertas no ensino da educação física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

HILDEBRANDT-STRAMANN, Reiner. Textos pedagógicos sobre o ensino da educação física. Ijuí: Unijuí, 2005.

IORA, Jacob Alfredo; SOUZA, Maristela da Silva; MARIN, Elizara Carolina. Proposta crítico-emancipatória: com a palavra o autor. Pensar a Prática, v. 22, 2019. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/49281. Acesso em: 14 de out. 2020.

KUNZ, Elenor. Educação Física: ensino e mudança. Ijuí: Unijuí, 1991.

KUNZ, Elenor. Educação Física crítico-emancipatória: com uma perspectiva da pedagogia alemã do esporte. Editora Unijuí, 2006.

KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. 6ª ed. Ijuí: Unijuí, 2004.

MOGENDORFF, Janine Regina. A Escola de Frankfurt e seu legado. Verso e Reverso, v. 26, n. 63, p. 152-159, 2012. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/ver.2012.26.63.05. Acesso em: 14 de out. 2020.

OLIVEIRA, Cacilda Lages. Significado e contribuições da afetividade, no contexto da Metodologia de Projetos, na Educação Básica. Dissertação de mestrado – Capítulo 2, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET, Belo Horizonte/MG, 2006. Disponível em: https://fdocumentos.tips/document/oliveira-cacilda-lages-significado-e-contribuicoes-da-do-ponto-de-vista.html. Acesso em: 14 de out. 2020.

PARO, Vitor Henrique. Autonomia do educando na escola fundamental: um tema negligenciado. Educar em Revista, n. 41, p. 197-213, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602011000300013&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 14 de out. 2020.

SANTOS, Aline Rodrigues; FREIRE, Elisabete dos Santos; FILGUEIRAS, Isabel Porto; RODRIGUES, Luiz Henrique. Metodologia de projetos e educação física escolar a percepção dos alunos. Revista Brasileira Educação Físisca Escolar, ano II, v.3, p. 07-20, 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/316256056_

METODOLOGIA_DE_PROJETOS_E_EDUCACAO_FISICA_ESCOLAR_a_percepcao_dos_alunos_The_Active_Learning_in_School_Physical_Education_student's_perceptions. Acesso em: 14 de out. 2020.

WELP, Anamaria Kurtz de Souza; SARMENTO, Simone; KIRSCH, William. Entrevista com o professor Fernando Hernández. Bem legal, v. 4, n. 1, 2014. Disponível em: http://www.ufrgs.br/revistabemlegal/edicoes-anteriores/no_1_2014/

entrevista-com-o-professor-fernando-hernandez. Acesso em: 14 de out. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v5i2.3039

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.