SAÚDE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: DIÁLOGOS E POSSIBILIDADES A PARTIR DO CONCEITO AMPLIADO DE SAÚDE

Alexandre Palma

Resumo


Considerando os desdobramentos decorrentes da noção biomédica de saúde, o objetivo do presente estudo é trazer à tona algumas reflexões sobre as associações entre exercícios físicos e doenças, debater o conceito de saúde e discutir possibilidades de tratar deste tema na educação física escolar. Inicialmente, são realizadas indagações acerca dos conceitos de saúde. Em seguida, são trazidos alguns questionamentos sobre determinados aspectos biológicos que caracterizam os estudos da área. Posteriormente, outras questões de ordem social, econômica e cultural são discutidas. Por fim, são apresentadas algumas possibilidades de trabalho na educação física escolar. Conclui-se entendendo que é preciso pensar os exercícios, não como uma obrigatoriedade, mas, antes, como um direito.


Palavras-chave


Exercício físico; Saúde; Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOND, K.; BRINKLØV, C.F.; RIED-LARSEN, M.; CRIPPA, A.; GRØNTVED, A. Association of high amounts of physical activity with mortality risk: a systematic review and meta-analysis. Br J Sports Med, London, v. 54, n. 20, p. 1195-201, oct. 2020.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

CECCIM, R.B.; FERLA, A.A. Educação e saúde: ensino e cidadania como travessia de fronteiras. Trab Educ Saúde, v. 6, n. 3, p. 443-56, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462008000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30 nov. 2020.

COENEN, P.; HUYSMANS, M.A.; HOLTERMANN, A.; KRAUSE, N.; Van MECHELEN, W.; STRAKER, L.M.; Van der BEEK, A.J. Do highly physically active workers die early? A systematic review with meta-analysis of data from 193696 participants. Br J Sports Med, London, v. 52, n. 20, p. 1320-26, oct. 2018.

JEKEL, J.F.; KATZ, D.L.; ELMORE, J.G. Epidemiologia, Bioestatística e Medicina Preventiva. Porto Alegre: Artmed, 2001.

LEE, I.M.; PAFFENBARGER, R.S. Associations of light, moderate, and vigorous intensity physical activity with longevity. Am J Epidemiol, Baltimore, v. 151, n. 3, p. 293-9, feb. 2000. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/43df/c412fd77c079c8657c5c2080769039056a79.pdf?_ga=2.131939399.999363185.1607722247-1199940316.1607722247. Acesso em: 30 nov. 2020.

LEWIS, A. Saúde. In: SILVA, B. (Org.). Dicionário de ciências sociais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1986, p. 1099-1101.

MINAYO, M. C. S. A saúde em estado de choque. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1992.

MORRIS, J.N.; HEADY, J.A.; REFFLE, P.A.B.; ROBERTS, C.G.; PARKS, J.W. Coronary Heart-Disease and Physical Activity of work. The Lancet, London, v. 262, n. 6795, p. 1053-57, nov. 1953a.

MORRIS, J.N.; HEADY, J.A.; REFFLE, P.A.B.; ROBERTS, C.G.; PARKS, J.W. Coronary Heart-Disease and Physical Activity of work. The Lancet, London, v. 262, n. 6796, p. 1111-20, nov. 1953b.

PALMA, A. Educação Física, corpo e saúde: uma reflexão sobre outros ‘modos de olhar’. Rev Bras Cienc Esporte, Brasília, v. 22, n. 2, p. 23-39, jan. 2001. Disponível em: http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/410. Acesso em:30 nov. 2020.

PALMA, A. Como as AFES podem ser articuladas a uma abordagem multidimensional alinhada com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável? Movimento é Vida! Atividades Físicas e Esportivas para todas as pessoas. Relatório Nacional de Desenvolvimento Humano no Brasil. Background Papers. Brasília: PNUD, 2017. Disponível em: http://movimentoevida.org/wp-content/uploads/2017/10/Atividades-F%C3%ADsicas-e-Esportivas-e-a-Agenda-2030.pdf . Acesso em: 02 dez. 2018.

PALMA, A. Tensões e possibilidades nas interações entre educação física, saúde e sociedade. In: WACHS, F.; LARA, L.; ATHAYDE, P. Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE. Atividade Física e saúde. Natal: Edufrn, p.15-27, 2020. Disponível em:

http://www.cbce.org.br/upload/biblioteca/Atividade%20f%C3%ADsica%20e%20sa%C3%BAde%20(Ci%C3%AAncias%20do%20esporte,%20educa%C3%A7%C3%A3o%20f%C3%ADsica%20e%20produ%C3%A7%C3%A3o%20do%20conhecimento%20em%2040%20anos%20de%20CBCE%20-%20%20v.%2011).pdf Acesso em: 30 nov. 2020.

PEREIRA, M.G. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.

PETERSEN, A.M.W.; PEDERSEN, B.K. The anti-inflammatory effect of exercise. J Appl Physiol, Bethesda, v. 98, n. 4, p. 1154-62, apr. 2005. Disponível em: https://www.dnbm.univr.it/documenti/OccorrenzaIns/matdid/matdid846809.pdf. Acesso em: 30 nov. 2020.

REY LOPES, J.P.; GEBEL, K.; CHIA, D.; STAMATAKIS, E. Associations of Vigorous physical activity with all-cause, cardiovascular and cancer mortality among 64 913 adults. BMJ Open Sport Exerc, London, v. 5, n. 1, p. e000596, aug. 2019. Disponível em: https://www.academia.edu/40834274/Associations_of_vigorous_physical_activity_with_all_cause_cardiovascular_and_cancer_mortality_among_64_913_adults. Acesso em: 30 nov. 2020.

ROZEMBERG, B.; MINAYO, M.C.S. A experiência complexa e os olhares reducionistas. Ciênc Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 115-123, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v6n1/7030.pdf. Acesso em 30 nov 2020.

WARBURTON, D.E.; CHARLESWORTH, S.; IVEY, A.; NETTLEFOLD, L.; BREDIN, S.S. A systematic review of the evidence for Canada’s Physical Activity Guidelines for Adults. Int J BehavNutr Phys Act, London, v. 7, p. 39, may. 2010. Disponível em: file:///C:/Users/USER/Downloads/1479-5868-7-39.pdfAcesso em: 30 nov. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v5i2.3025

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.