OS ESPORTES DE REDE E PAREDE NA BNCC: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

David Tomé Lima, Bianca Silva Franco, José Messias Vieira Marques Filho, Vanessa Lima

Resumo


A partir de 2017, com a homologação da Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Fundamental, tornou-se obrigatório a implementação de conteúdos seguindo recomendação do documento. Nesse contexto, os esportes de rede e parede se apresentam como um dos objetos de conhecimento previstos para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Com vista a isso, este trabalho tem o objetivo de apresentar um relato de experiência sobre uma possibilidade de prática pedagógica com os esportes de rede e parede em aulas de Educação Física nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para tanto, esta pesquisa aconteceu em uma escola-campo no município de Fortaleza-Ce durante as aulas de Educação Física que ocorreram no contexto das regências do Programa de Residência Pedagógica. Com base no processo vivenciado, foi possível avaliar que os estudantes conseguiram compreender os elementos comuns aos esportes e criar estratégias individuais.

Palavras-chave


Educação Física. Esportes de rede/parede. Pedagogia do Esporte.

Texto completo:

PDF

Referências


ABURACHID, L. M. C.; RIBAS, S.; ARAÚJO, N. D.; GRECO, P. J. Badminton: possibilidades de ensino aplicadas ao contexto da Educação Física escolar. Journal of Physical Education. Maringá, v. 30. 2019. DOI:https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3055

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Brasília, DF, 2018a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf Acesso em: 19 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Institui o Programa de Residência Pedagógica. Brasília, DF, 2018b.

CLEMENTE, F. M. Princípios pedagógicos dos teaching games for understanding e da pedagogia não-linear no ensino da educação física. Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 2, p. 315-335, 2012. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.27495

GOMES, L; MARTINS, J; COSTA, F. Estilos de ensino em Educação Física. In: CATUNDA, R; MARQUES A. (Orgs.). Educação Física escolar: referenciais para o ensino de qualidade. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2017. p. 87-108.

GONZALEZ, R. H.; BETTEGA, O. B.; GALATTI, L. R.; MACHADO, M. M. T. Pedagogia do esporte: condições, concepções e avanços tecnológicos do ensino do esporte na escola. In: CATUNDA, R.; MARQUES, A. (Orgs.). Educação Física escolar: referenciais para o ensino de qualidade. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2017. p. 171-185.

GONZÁLEZ, F. J. Sistema de classificação de esportes com base nos critérios: cooperação, interação com o adversário, ambiente, desempenho comparado e objetivos táticos da ação. Lecturas: Educación física y deportes, n. 71, p. 3, 2004.

GONZÁLEZ, F. J.; DARIDO, S. C.; OLIVEIRA, A. A. B. de. Esportes de marca e com rede divisória ou muro/parede de rebote: badminton, peteca, tênis de campo, tênis de mesa, voleibol, atletismo. 2ª ed. Maringá: Eduem, 2017.

JANUÁRIO, C. O planejamento de jovens professores de Educação Física. In: CATUNDA, R; MARQUES, A. (Orgs.). Educação Física escolar: referenciais para o ensino de qualidade. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2017. p. 109-118.

MARTINS, J; GOMES, L; COSTA, F. Técnicas de ensino para uma Educação Física de qualidade. In: CATUNDA, R; MARQUES A. (Orgs.). Educação Física escolar: referenciais para o ensino de qualidade. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2017. p. 53-85. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Joao_Martins13/publication/323368753_Tecnicas_de_ensino_para_uma_educacao_fisica_de_qualidade/links/5a904b67a6fdccecff01eec7/Tecnicas-de-ensino-para-uma-educacao-fisica-de-qualidade.pdf Acesso em: 20 maio 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v6i2.3019

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.