BARREIRAS PARA O TRANSPORTE ATIVO EM ESCOLARES

José Fernando Vila Nova de Moraes, Felipe Ramon Batista Barros, Gabriel Lucas Morais Freire, Ana Regina Felipe Ramon Batista Moura, Antonio Marcos Araújo da Silva, José Roberto Andrade do Nascimento Junior

Resumo


O objetivo desse estudo transversal foi identificar a frequência do uso de transporte ativo no trajeto de casa até a escola, as principais barreiras encontradas e o nível de atividade física de estudantes.  Participaram do estudo 119 estudantes do ensino fundamental de uma escola de Petrolina-PE, com idades entre 11 e 12 anos, sendo 59 meninos (49,6%) e 60 meninas (50,4%). Os participantes responderam a quatro perguntas acerca da temática estudada. Comparações entre sexos foram realizadas por meio do teste do Qui-Quadrado (P<0.05). Os resultados demonstraram que 91 (77,8%) usavam transporte passivo para a escola, 53 (50,0%) relataram a distância para a escola como a principal barreira para o uso de transporte ativo e apenas 23 (19,3%) dos participantes praticavam atividade física nos sete dias da semana. Não foram observadas diferenças significativas entre os sexos. Conclui-se que grande parte dos estudantes usa o transporte passivo para a escola, a distância é a principal barreira, e o nível de atividade física está abaixo do recomendado para essa faixa etária.


Palavras-chave


Escolares; Transporte Ativo; Atividade Física

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v5i1.2406

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.