Física de partículas no Ensino Médio? Propostas de atividades que estão ao alcance dos nossos alunos!

Sandro Soares Fernandes

Resumo


Após dez dias no CERN, o maior laboratório de Física de partículas do mundo, retornei para o Brasil com o objetivo de transmitir aos alunos um pouco da experiência vivida e adquirida durante o curso. Esse compromisso e a oportunidade que tive em participar da “CERN Portuguese Language Teachers Programme”, despertou mais interesse para assuntos relacionados à Física Moderna e Contemporânea, e desde então tenho dedicado algum tempo para criar algumas propostas de atividades, acompanhadas de roteiros, que levam para as aulas de Física temas relacionados a esse assunto através de algumas atividades que possuem um enfoque CTS e outras que utilizam aplicativos, jogos e simuladores, buscando sempre inserir de forma agradável e eficiente, conhecimentos básicos e essenciais de Física de partículas. Estas propostas foram aplicadas em algumas turmas e foi verificado relevante envolvimento dos participantes, além de aprendizado satisfatório dos alunos que participaram das atividades.

Palavras-chave


Ensino de Física; CTS; Física de Partículas.

Texto completo:

PDF

Referências


AIKENHEAD, G. S. What is STS science teaching? In: SOLOMON, J., AIKENHEAD, G. STS (1994) education: international perspectives on reform. New York: Teachers College Press, p.47-59.

AZEVEDO, M.C.P.S. Ensino por investigação: Problematizando as atividades em sala de aula. . In: CARVALHO, A.M.P. (org.) Ensino de Ciências. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. p. 19-33

BAROJAS, J. (Ed.) Cooperative networks in physics education. New York: American Institute of Physics, 1988. (AIP Conference Proceedings, 173).

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio. Brasília: SEMTEC/MEC, 2000.

CARVALHO, A.M.P. Enculturação Científica: uma meta no ensino de ciências. Texto apresentado no XIV ENDIPE , Porto Alegre, abril (2008) 12 págs.

FERNANDES, S.S. (2012a) Uma proposta de atividade investigativa envolvendo sistema métrico. Dissertação de mestrado. IF, UFRJ. Rio de Janeiro, Brasil WWW.if.ufrj.br/~pef/producao_academica/dissertacoes/2012_Sandro_Fernandes/dissertacao_Sandro_Fernandes.pdf

FERNANDES, S.S. (2012b) O dia a dia das unidades de medidas. In: Vianna, D.M. & Bernardo, J.R. (org) Temas para o Ensino de Física com abordagem CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade), Rio de Janeiro: Bookmakers Ed. Ltda. (p.17 - p.34) www.proenfis.pro.br

JIMENEZ-ALEIXANDRE, M.P. e DIAZ de BUSTAMANTE, J. Discurso de aula y argumentación em la clase de ciências. In: Enseñanza de las Ciencias. Espanha. V21, N 3, 2003 p. 359-369

LOCATELLI, R.J. e CARVALHO, A.M.P. (2007) Uma análise do raciocínio utilizado pelos alunos ao resolverem os problemas propostos nas atividades de conhecimento físico. Rev. Bras. de Pesquisa em Ed. em Ciências, V.7, N3

LONDRON, E,S,Z. O sistema Métrico Decimal como um Saber escolar em Portugal e no Brasil Oitocentista. Acesso: http://www.pucsp.br/pos/edmat/do/tese/

MORTINER, E.F. Uma agenda para a pesquisa em educação em ciências. In: Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 2 (1). 2002. p.25-35

MENEZEZ, L.C. Uma Física para o Novo ensino médio, Física na Escola, v.1, n.1, p. 6-8, 2000.

MOREIRA, M.A, Partículas e Interações, Física na Escola, v. 5, n.2, 2004.

NASCIMENTO. S,S; VIEIRA. R,D. Contribuições e limites do Padrão de argumento de Toulmin aplicado em situações argumentativas de sala de aula de ciências (2008). Acesso: http://www.fae.ufmg.br/abrapec/revistas/V8N2/v8n2a1.pdf

OSTERMANN, F.; MOREIRA, Marco Antonio . Uma revisão bibliográfica sobre a área de pesquisa Física Moderna e Contemporânea no ensino médio. In: VII Interamerican Conference on Physics Education, 2000a, Canela. VII Interamerican Conference on Physics Education - Proceedings. Porto Alegre : Instituto de Física - UFRGS, 2000. p. 93-94

PENHA. S.P., CARVALHO, A.M.P. e VIANNA, D.M. (2009. A utilização de atividades investigativas em uma proposta de enculturação científica: novos indicadores para análise do processo. VII ENPEC. Florianópolis. Acesso em http://www.foco.fae.ufmg.br/viienpec/index.php/enpec/viienpec/paper/viewFile/612/117

ROBERTS, D. A (1991). What counts as science education? In: FENSHAM, P., J. (Ed.) Development and dilemmas in science education. Barcombe: The Falmer Press, p.27-55.

R.CID e X.CID VIDAL, O LHC ajudando a entender conceitos de eletrostática, Física na Escola, V11, n.2, 2010.

SANTOS, W.L.P. e MORTINER, E.F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da educação brasileira In: Ensaio. Belo Horizonte. V.2 N. 2 UFMG: 2002 p.1-23.

http://phet.colorado.edu/pt_BR/ (Divertidas, interativas, fundamentadas em pesquisas. São as simulações de fenômenos físicos do projeto PhET™ da Universidade de Colorado.)

http://www.sprace.org.br/SPRACE/sprace-game-pt (Link que dá acesso ao jogo SPRACE).https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lhsee&hl=pt_BR (Link que dá acesso ao aplicativo LHSee).

http://www.sbfisica.org.br/v1/index.php?option=com_content&view=article&id=387%3Aescola-de-fisica-cern-2012&catid=50&Itemid=276 (SBF, Escola de Física do CERN 2012).

VIANNA, D.M., DIAS DE BUSTAMANTE, J. e JIMÉNEZ ALEIXANDRE, M.P (2003). Buscando a Relação entre Eletricidade e Magnetismo. SNEF, SBF, apresentação oral.

VIANNA, D. M.; OLIVEIRA, F.F.; GERBASSI, R. S. Física Moderna no Ensino Médio: o que dizem os professores. Revista Brasileira de Ensino de Física (São Paulo), v. 29, p. 1-8, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2594-5599 

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.