“Diga às outras bruxas que você não o viu!”: uma cena de meio sol amarelo, de Chimamanda Ngozi Adichie

Carolina Carvalho

Resumo


No aclamado romance Meio sol amarelo, de Chimamanda Ngozi Adichie, uma das personagens que nos guiam pelo enredo é Olanna, mulher negra e politizada, formada em Sociologia no Reino Unido e professora da Universidade de Nsukka, na Nigéria. No livro, acompanhamos a vida de Olanna depois de conhecer e decidir morar com Odenigbo, também professor, líder político e intelectual na universidade. Em certo momento, ainda no início da narrativa, conhecemos Mama, a mãe de Odenigbo, que vem de sua vila no interior da Nigéria para uma visita à cidade universitária do filho. A cena que esta pesquisa analisa é a do encontro entre Olanna e Mama; especificamente, o choque entre duas mulheres cujas referências imediatas são diferentes, apesar de suas origens nacional e étnica comuns. Minha leitura explora o potencial de representação em Meio Sol Amarelo dos conflitos que a opção decolonial nos impõe: como nos desviar da centralidade europeia e, ao mesmo tempo, considerar os conhecimentos e discursos tradicionais sem cair no conservadorismo? Como transformar uma força centrípeta em força centrífuga, sem perder o eixo? Este trabalho explora tais tensões na literatura de Adichie, dialogando-a com textos do historiador indiano Dipesh Chakrabarty e da filósofa Denise Ferreira da Silva.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2595-4792