A IMPLANTAÇÃO DA LEI 5.692/71 NO COLÉGIO PEDRO II

Adjovanes T. Silva de Almeida, Bruno Peres Lima

Resumo


Este artigo analisa o impacto da lei nº 5.692/1971 nas atividades pedagógicas do Colégio Pedro II, além de comparar o planejamento da implantação das Habilitações Básicas com as ações efetivamente realizadas nesta instituição, usando como referenciais teóricos principais NEVES e PRONKO (2008), FRIGOTTO, CIAVATTA e RAMOS (2005) e SANTOS (2018). O contexto histórico resultou em uma implantação improvisada das habilitações técnicas em escolas que ofereciam somente o ensino propedêutico. O Colégio Pedro II era uma instituição centenária e tradicional na formação generalista, mas com pouca tradição no Ensino Profissionalizante, precisando, a partir da nova lei, se adaptar às obrigações impostas. Documentos do Ministério da Educação publicados na década de 1970 detalharam a forma como se planejava a progressiva implantação das Habilitações Básicas no Colégio Pedro II. Posteriormente, a mudança da Direção Geral, em 1979, e a extinção do caráter obrigatório da profissionalização (lei nº 7.044/1982) levaram à descontinuidade do Programa.


Palavras-chave


Educação Profissionalizante; Colégio Pedro II; Políticas Públicas em Educação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v7i2.2860

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.