USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA

Marcelle de Oliveira Manhães, Adelson Siqueira Carvalho, Silvia Cristina Freitas Batista

Resumo


Diante da dificuldade de alguns estudantes compreenderem e relacionarem conceitos ensinados na disciplina de Física, no Ensino Médio, é importante buscar estratégias que facilitem e motivem a construção do conhecimento, além de utilizar diferentes ferramentas para avaliação do processo de ensino. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é investigar como os mapas conceituais podem ser utilizados como ferramenta de avaliação no ensino da Física. Para tanto, uma intervenção pedagógica foi realizada em uma turma de 3° ano do Ensino Médio, na qual aulas expositivas dialogadas e atividades experimentais foram promovidas no estudo de conteúdos de corrente elétrica e circuito elétrico. O instrumento de avaliação utilizado nesta intervenção pedagógica foi a elaboração de mapas conceituais pelos estudantes. Neste trabalho, é apresentada a análise qualitativa destes mapas, considerando os critérios de hierarquização, proposições, ligação cruzada e exemplos. Com base na investigação científica, verificou-se que os mapas conceituais podem ser utilizados como ferramenta de avaliação no processo de ensino e aprendizagem, permitindo levantar indícios de uma aprendizagem significativa.

Palavras-chave


Mapa conceitual. Avaliação. Ensino de Física. Teoria da Aprendizagem Significativa.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, David Paul. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, v. 1, 2003.

DAMIANI, Magda Floriana et al. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, n. 45, p. 57-67, 2013.

GOMES, Francisco Halyson Ferreira; CAETANO, Ewerton Wagner Santos; ALVES, Francisco Régis Vieira. O uso de mapas conceituais no ensino de Física. # Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, v. 6, n. 1, p. 1-17, 2017.

MOREIRA, Marco Antonio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa (concept maps and meaningful learning). Aprendizagem significativa, organizadores prévios, mapas conceituais, digramas V e Unidades de ensino potencialmente significativas, p. 41-54, 2013.

MORO, Fernanda Teresa; NEIDE, Italo Gabriel; REHFELDT, Márcia Jussara Hepp. Atividades experimentais e simulações computacionais: integração para a construção de conceitos de transferência de energia térmica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 33, n. 3, p. 987-1008, dez. 2016.

NOVAK, Joseph D.; CAÑAS, Alberto J. The theory underlying concept maps and how to construct and use them. Práxis Educativa, v. 5, n. 1, p. 9-29, 2010.

NOVAK, Joseph D. Aprender a aprender. Lisboa: Paralelo, 1984.

RIO DE JANEIRO. Currículo Mínimo de Física. Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2018.

SANTOS, Regiane de Souza Paula; GUELPELI, Marcus Vinicius Carvalho; SABINO, Geruza de Fátima Tomé. Mapas conceituais utilizados como instrumento de avaliação e aprendizagem para o ensino de físicaconceptual Maps used as an instrument of evaluation and learning of physics. European Journal of Education Studies, v. 3, p. 217- 232, 2017.

SOUZA JÚNIOR, Marinaldo Vilar et al. Mapas conceituais no ensino de física como estratégia de avaliação. Scientia Plena, v. 13, n. 1, p. 1-11, 2017.

TAVARES, Romero. Construindo mapas conceituais. Ciências & Cognição, v. 12, p. 72-85, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v3i2.2085

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.