A TEORIA CLÁSSICA E A ANTÍTESE KEYNESIANA DO PLENO EMPREGO

Valêncio Manoel

Resumo


O presente artigo tem como meta analisar os princípios tópicos da teoria clássica que foi utilizada como base teórica na revolução Keynesiana, após as sucessivas crises do capitalismo que culminou na grande depressão dos anos 30. O pensamento dos mercantilistas, os dogmas dos clássicos, assim como antítese Keynesiana são enfocadas através de um processo histórico na evolução do pensamento econômico até Keynes, evidenciando o metalismo, a contraposição dos clássicos na necessidade da intervenção estatal, finalizando o artigo em Keynes, em sua teoria geral, que enfatizou um modelo para o pleno emprego diferenciando do pressuposto dos clássicos. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/rps.v0i4.443

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Perspectiva Sociológica: A Revista de Professores de Sociologia

ISSN 1983-0076

Departamento de Sociologia - Colégio Pedro II

URL da Homepage: http://www.cp2.g12.br

E-mail: perspectivasociologicacp2@gmail.com