Bonecas Karajá: cultura e relações sociais por trás das exposições "Brasil indígena" e "Os Karajás" do Museu Nacional

Amanda Abreu Rosa

Resumo


Um grande incêndio atingiu o Museu Nacional/UFRJ em setembro de 2018 e a maior parte do acervo não resistiu à maior tragédia museológica vivenciada pelo país. Diante desse cenário, é necessário ressaltar a relevância e diversidade sociocultural e histórica presente no acervo antropológico guardado pela instituição. Dessa maneira, o artigo enfoca as bonecas karajá (ritxòkò), patrimônio imaterial brasileiro, que compunham o acervo presente nas exposições “Os Karajás: Plumária e Etnografia” e “Brasil Indígena”. Para tanto, foi realizada uma análise sobre seus sentidos e significados, a partir do lugar que as bonecas ocupam dentre os karajá e seus percursos para além das aldeias, inclusive em sua transformação em patrimônio museológico. Sendo assim, o objetivo deste estudo é contribuir para a valorização e para a memória do acervo do setor de etnologia indígena em um momento de reconstrução do Museu Nacional, a fim de reafirmar a sua importância e seu valor em âmbito nacional e mundial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/rps.v0i26.3078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Perspectiva Sociológica: A Revista de Professores de Sociologia

ISSN 1983-0076

Departamento de Sociologia - Colégio Pedro II

URL da Homepage: http://www.cp2.g12.br

E-mail: perspectivasociologicacp2@gmail.com